Friday, January 18, 2008

Na ira do meu sangue a dor por fim expulsar


Não importa o quanto tenho que andar
Não importa o que irão me falar
Nada mais importa a não ser te amar
Sei que triste estou por isso pensar


Busco na energia da terra a força para lutar
Na sabedoria das driades verdes o encantar
Na pureza das águas minha magoa banhar
Na ira do meu sangue a dor por fim expulsar


Deusa sinto a sua presença, mas a dor permanece
Nesta lua Cerscente aguardo o meu amor aumentar
Deusa peço que me mostre o caminho do enlace
Lua quero a sua energia nos meus sinhos a me guiar


Busco na energia da terra a força para lutar
Na sabedoria das driades verdes o encantar
Na pureza das águas minha magoa banhar
Na ira do meu sangue a dor por fim expulsar

2 comments:

Anonymous said...

Essa poesia ficou foda demais. Eu mesmo adorei. Gallicio

Vampiro said...

Na ira do meu sangue a dor por fim expulsar...


Essa fico muito foda mesmo !

Gostei mesmo,fico bem filosofica mesmo!

espero que escreva mais ! ;)